O Conselho Federal de Medicina (CFM) realiza, no dia 20 de junho, em Macapá (AP), o IV Fórum de Médicos de Fronteira. Além de conselheiros federais e membros da Comissão de Integração de Médicos de Fronteira do CFM, o evento reunirá representantes dos Conselhos Regionais de Medicina (CRMs), Secretaria Especial de Saúde Indígena do Ministério da Saúde, Ministério dos Povos Indígenas, Exército Brasileiro e Comunidade Médica de Língua Portuguesa (CMLP) para discutirem, juntos, importantes temas para a Medicina atual.

 

A programação prevê apresentações e debates sobre interculturalidade em saúde; o papel das Forças Armadas e das universidades na atenção à saúde dos povos indígenas e ribeirinhos; o internato rural em Unidades Básicas de Saúde Fluviais; e o envolvimento de instituições nacionais no atendimento desses povos. Participam, ainda, parlamentares e representantes membros da Coordenação Estadual de Saúde Indígena e Academia Nacional de Medicina.

 

Segundo explica a secretária-geral do CFM e coordenadora da Comissão de Integração de Médicos de Fronteira, Dilza Teresinha Ambrós Ribeiro, o objetivo central do evento é criar pontes para a saúde dos povos indígenas e ribeirinhos. “Acreditamos que as discussões serão enriquecidas pelas experiências e perspectivas dos diferentes atores envolvidos na assistência à saúde dos povos ribeirinhos e indígena”, disse.

 

Na oportunidade, o CFM pretende apresentar uma análise sobre a infraestrutura, o ensino médico e o cenário epidemiológico nos municípios da faixa de fronteira. “Estamos atentos a essas localidades distantes dos centros urbanos, pois nelas vivem uma população que também precisa de ter acesso a diagnósticos e tratamentos. Por isso, monitoramos constantemente a oferta de serviços públicos de qualidade, que tem sido um desafio profissionais e gestores”, antecipou Dilza Ambrós.

CONFIRA AQUI A PROGRAMAÇÃO E INSCRIÇÕES

 

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.