A queda da cobertura vacinal, nos últimos anos, quadro agravado pela pandemia da Covid-19 e o aumento dos casos e mortes por doenças imunopreveníveis, como o sarampo, preocupam extremamente especialistas em imunizações e vigilância em saúde.  Como parte de uma grande rede de mobilização pela vacinação, para não haver o retorno de doenças extintas ou diminuídas em nosso meio, o Conselho Regional de Medicina do Estado do Amapá (CRM-AP), representado por sua secretária Dra. Maracy Andrade e a Sociedade Amapaense de Pediatria (SAP), representado pela presidente Dra. Camila Salomão participaram das discussões que envolvem a retomada do Projeto Pela Reconquista Das Altas Coberturas Vacinais (PRCV) no Amapá.

Além das médicas Dra. Maracy Andrade e Dra. Camila Salomão, participaram da reunião: Dra. Maria de Lourdes de Sousa Maia, coordenadora da Assessoria Clínica do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos Bio-Manguinhos/ Fiocruz; Dr. Akira Homma, assessor científico sênior de Bio-Manguinhos / Fiocruz ;  Dra Flávia Bravo, da diretoria da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIM); Dr. Luciano Gomes, assessor do projeto Pela Reconquista das Altas Coberturas Vacinais e da UFPB.

Na reunião, realizada dia 25 de julho, em Macapá-AP, foram discutidas: a temática da vacinação; acompanhamento de sistemas e informações na ponta; comunicação e educação médica continuada.  Além da realização de congressos, seminários e jornadas médicas para debater as vacinas.

Para Homma, é fundamental fortalecer a colaboração entre instituições dos setores público e privado, nacionais e internacionais, para sair desta crise. “Só vamos reconquistar as metas de vacinação ideais conhecendo a realidade e as dificuldades na ponta, nas Unidades Básicas de Saúde, nas comunidades, trabalhando junto com os representantes e líderes locais. É agindo no território, diretamente, que podemos desenvolver estratégias mais eficazes para reverter essa situação extremamente preocupante”, afirma.

Já Maria de Lourdes lembra que o Brasil sempre foi exemplo na área de imunizações e que é preciso evitar retrocessos. “Temos vacinas seguras e eficazes, que estão disponíveis para todos: bebês, crianças, jovens, adultos, idosos. Precisamos combater a hesitação vacinal e fazer com que as vacinas sejam aplicadas, diz.

A iniciativa do Projeto Pela Reconquista Das Altas Coberturas Vacinais (PRCV)  é liderada pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos da Fundação Oswaldo Cruz (Bio-Manguinhos/Fiocruz), pela Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) e pelo PNI, ligado à Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS).

(Com informações da comunicação integrada do PRCV)

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.